Diogo Lourenço

Com o pouco que sei, e o muito que aprendi, escrevo aquilo que sinto e o que vejo que os outros sentem, porque a escrita para mim é muito mais que um ato, é a minha maneira de viver transcrita em palavras que não foram criadas por mim.

Por ter começado a minha vida independente aos 18 anos, posso dizer que já passei por muito e que com a minha experiência consigo ajudar muita gente, mas estamos sempre longe de saber tudo.

Depois do “Pensamentos De Um Adolescente” e “Um Mundo Feito De Nada, Uma Vida Cheia De Tudo”, dedico o “Dor Biologicamente Finita” a todas as pessoas que lutam diariamente para darem às pessoas que amam mais uns dias de amor, sem se importarem como nem quando, apenas muito, antes do fim.

Aos 15 anos lancei o meu primeiro livro “Pensamentos De Um Adolescente” com textos sobre a vida vista por olhos de um adolescente.

Aos 16 anos publiquei “Um Mundo Feito De Nada, Uma Vida Cheia de Tudo” e dei assim o meu segundo passo no mundo literário, já com alguns poemas.

Aos 20 anos publico o “Dor Biologicamente Finita”, dedicado à minha mãe e todas as pessoas que lutam diariamente para darem às pessoas que amam mais uns dias de amor, sem se importarem como, nem quando, apenas muito, antes do fim.

Obrigado pela sua visita

Antes de nos deixar, subscreva a nossa newsletter e fique sempre informado sobre os nossos livros.