Cristina Brandão Lavender

 Cristina Brandão Lavender nasceu em São Tomé e Príncipe, em Março de 1958, onde passou os primeiros anos até ao início da sua adolescência para regressar a Braga, terra natal de seu pai e da família da sua mãe, e onde reside actualmente. Possui dupla nacionalidade.Depois de completar, aos 17 anos, o seu curso inicial do Magistério Primário de Braga, em 1976, leccionou durante 35 anos em duas escolas do ensino primário. A par da sua actividade lectiva era formadora de docentes em exercício, em colaboração com os serviços da Inspecção Geral de Ensino e, posteriormente, como formadora registada no Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua. Exerceu ainda cargos de direcção, coordenação pedagógica com as escolas do 1º ciclo e como membro do conselho pedagógico e do conselho geral do agrupamento de escolas Dr. Francisco Sanches.No final da década de oitenta iniciou a integração de computadores em contexto de sala de aula no 1º ciclo do ensino básico e foi premiada pelo Instituto de Inovação Educacional com o 1º lugar na categoria de Projectos Centrados em Actividades de Complemento Curricular. Foi, durante quatro anos, professora colaboradora do Projecto Minerva em destacamento de funções, na Universidade do Minho, em Braga e Guimarães. Neste projecto foi responsável pela formação de professores de todos os graus de ensino na área das tecnologias da informação e comunicação e sua integração em contexto curricular e extracurricular.Foi ainda Professora cooperante nas Actividades das Disciplinas de Prática Pedagógica nos estágios da Licenciatura em Ensino Básico (1º Ciclo), do Instituto de Estudos da Criança da Universidade do Minho.Outra vertente da sua actividade profissional está relacionada com a formação de professores em exercício, em países estrangeiros com apresentações e workshops nas áreas educacionais: No departamento de “Computer Studies” na Universidade Chulalongkorn, em Bangkok; An approach of the Portuguese Curriculum “Curricular, Stimuli For Art Work” – Savonlinna, Finland; na Faculdade de Educação na Universidade Nacional de Timor Lorosa’e, em Díli, nas áreas da ciência experimental, língua materna, matemática e liderança na escola. Proferiu ainda comunicações em conferências em países como Espanha, Escócia e Holanda.O seu interesse pela escrita começa logo na primeira infância em S. Tomé e Príncipe, pela influência de sua mãe, e alguns anos após o seu regresso a Braga, com os seus pais, continua a escrita de pequenas histórias, peças de teatro e poesia, algumas das quais foram publicadas ainda antes do 25 de Abril de 1974, no Jornal Diário do Minho, na rubrica “Página Solta” a cargo do jornalista Luís Felipe.Em Junho 1975 é convidada a deslocar-se a S. Tomé e Príncipe como jornalista para cobrir a independência daquele país em representação do mesmo jornal, mas foi-lhe recusada a viagem devido a ligações da sua família com o regime colonial. De Janeiro de 2011 a Dezembro de 2012 continuou a colaborar com o Diário do Minho na rubrica “Opinião” e “Página Cultural”.Nos dois anos mais recentes tem-se dedicado exclusivamente a actividades no campo da escrita de textos em prosa e poesia, a marcar assim o começo de uma nova carreira, com ligações estreitas à sua terra natal, ao seu país adoptivo e ao seu gosto por viagens.  

Obrigado pela sua visita

Antes de nos deixar, subscreva a nossa newsletter e fique sempre informado sobre os nossos livros.