Bertina Lopes

Chamo-me Maria Luísa de Carvalho Lopes, nasci em Lobazes, freguesia e concelho de Miranda do Corvo, distrito de Coimbra, no seio de uma família numerosa. Meus pais – Mário Pedro Lopes e Albertina de Carvalho, também conhecida por Albertina Luísa de Carvalho, trabalhadores rurais, criaram e educaram oito filhos, entre eles, uma filha deficiente. Não lhes foi possível dar estudos aos seus filhos (todos eles inteligentes). Muito cedo todos nós tivemos que trabalhar.

Já na instrução primária me destacava, tanto no domínio do conhecimento próprio daquele nível, como também no domínio das artes (pintura, desenho) e no comportamento, ao ponto de a minha professora ter motivado os meus pais para me colocarem a prosseguir os estudos e se ter oferecido para pagar esses mesmos estudos. Na altura, ao ver o embaraço da minha mãe, recusei esta oferta por não querer ficar em circunstâncias de favorecimento em relação aos meus irmãos.

Assim que surgiu uma oportunidade e as minhas condições económicas o permitiram retomei os estudos, em regime nocturno e sempre como trabalhador estudante. Com algumas paragens pelo meio, concluí a Licenciatura em Filosofia e posterior Estágio do Ramo de Formação Educacional em 1996, ano em que, inesperadamente, faleceu a minha mãe.

Desde sempre me senti muito motivada pela leitura, pelo conhecimento em geral e pelas artes em particular. Comecei a escrever poesias no 3ª Ciclo (3º Ciclo Liceal Nocturno), algumas perderam-se outras consegui recuperar. Agora, aposentada, com algum tempo livre e com uma necessidade premente de me sentir activa e viva, senti um novo despertar para a escrita e aproveitei a oportunidade. Este é o primeiro de vários livros que tenciono escrever se o tempo que me resta o permitir.

Obrigado pela sua visita

Antes de nos deixar, subscreva a nossa newsletter e fique sempre informado sobre os nossos livros.