Álvaro Taio

O ser que um dia eu fora até à fase adulta era envolto às sombras tomado pela cegueira Espiritual, aquele que vivera na obscura omissão do passado e abraça agora o presente, tentando redimir-se das falhas cometidas prosseguindo a passos firmes em prol de um futuro radiante repleto de bênçãos. Deixo como legado tal testemunho na ardósia da vida, minhas palavras nesse contexto espelha o que vou vivenciando na sublimação dos meus sonhos, emitindo a realidade do que me transcende através do Universo Espiritual.

Os presságios dos meus sonhos regem a minha vida fluindo incessantemente pela Dádiva Sagrada de Deus, trilho nessa senda oriunda de uma energia agraciada.

Cada qual tem a sua liberdade de expressão e comunga a sua fé, cada um acredita na razão da sua existência e molda o seu Criador à sua Imagem, mas todos evocamos unanimemente o nome de Deus. O que externa vem do âmago do meus ser, não busco frases feitas ou evasivas, exalo o perfume da alma através do dom Sagrado da escrita.

O verbo Sagrado é algo que devemos vivenciar com o coração límpido fazendo uma catarse de alma, é indispensável que alicercemos a nossa conduta nos Sábios ensinamentos do Mestre Jesus.

Não exteriorizemos apenas vãs palavras inflamadas por efeito de retórica para passarmos algo que não sentimos, é primordial sentir amor para semear.

Como dissera o Apóstolo Paulo numa das suas máximas "Ainda que eu falasse a língua dos Anjos, sem amor e caridade eu nada seria”.

Emanemos luz e a alcancemos na frequência Divina, pela ação da generosidade Humana.

Obrigado pela sua visita

Antes de nos deixar, subscreva a nossa newsletter e fique sempre informado sobre os nossos livros.